fbpx

Notícias

4 editoras japonesas descartam ação judicial contra sites piratas “sucessores do Mangamura”

| por:

Postado em: #Anúncios #Japão #Mangás

Shueisha, Kodansha, Kadokawa e Shogakukan notaram dificuldades em identificar os acusados de piratear mais de 93.000 volumes digitalizados de mangás.

O juiz Lewis J. Liman da Corte do Distrito Sul de Nova York rejeitou uma ação judicial em conjunta das editoras japonesas ShueishaKodanshaKadokawa e Shogakukan contra os administradores sem nome do site Hoshi no Romi e três outros sites hospedados nos Estados Unidos em 11 de Maio.

As quatro editoras japonesas haviam protocolado um aviso voluntário em 8 de Maio. O aviso das editoras acrescentou: “Os demandantes continuam buscando meios civis e criminais para fazer valer seus direitos e podem refazer esse processo se as atividades infratoras dos réus recomeçarem ou se caso contrário, é necessário”.

Mangamura

Página do Mangamura

O tribunal concedeu o pedido das editoras em 20 de Novembro para conduzir uma descoberta rápida das identidades dos acusados ​​e concluir o serviço do processo por e-mail. No entanto, os documentos legais subsequentes das editoras notaram dificuldades na determinação das identidades dos operadores de Hoshi no Romi. As editoras haviam enviado intimações para empresas de Internet para obter registros que pudessem identificar os administradores do site e, posteriormente, trabalharam com uma empresa de consultoria para analisar os dados.

Devido aos “esforços dos réus para ocultar suas identidades e evitar serviços”, o advogado das editoras solicitou em 25 de Fevereiro uma extensão de 90 dias para concluir o serviço do processo. O tribunal aceitou o pedido, que deu às editoras até 20 de Maio para concluir o serviço do processo. Elas apresentaram uma moção para Michael J. Druckman se retirar como advogado em 16 de Março e ele foi “demitido” em 1º de maio.

As editores entraram com a ação em 4 de Setembro. Elas alegaram que Hoshi no Romi e três outros sites, que supostamente hospedavam mais de 93.000 volumes digitalizados de mangás, foram sucessores do site japonês de pirataria de mangá Mangamura, violando direitos autorais e obtendo lucro com isto. As empresas estavam buscando ressarcimentos dos danos e o fechamento dos sites.

RIZE: QUEM É MESMO QUE ESTÁ AI ACESSANDO SITES PIRATAS? ESTAMOS DE OLHO. (ANIME: GOCHUUMON WA USAGI DESU KA?)

Hoshi no Romi parece ter o nome de Romi Hoshino, também conhecido como Zakay Romi, um suposto administrador de Mangamura. Os quatro sites processados ​​estavam inacessíveis em meados de Setembro 2019. Hoshino foi extraditado para o Japão no final de Setembro.

O site de pirataria de mangá em língua japonesa Mangamura tornou-se inacessível em Abril de 2018. As editoras japoneses apresentaram queixas criminais contra o site no verão até o outono de 2017 e as autoridades japonesas revelaram em Maio de 2018 que estavam investigando ativamente Mangamura. Além de Hoshino, a polícia fez várias outras prisões relacionadas ao upload de imagens não autorizadas no site.

Por enquanto isso é tudo e a nossa central de animes continuará atenta para novidades.

Fontes: PACER via ANN

– Leia mais sobre Mangás aqui no Anime Xis!

– Mais notícias de animes? Clique neste link!

Não perca nenhuma atualização, siga-nos no twitter: @Anime_Xis
Conhece nosso Canal no Youtube?

Curtam nossa página no Facebook: Anime Xis e entrem no nosso Grupo: Anime Xis!

#Kadokawa #shueisha #Kodansha #Shogakukan #Crime #EUA #Pirataria

[ssba url="https://www.animesxis.com.br/2020/05/20/4-editoras-japonesas-descartam-acao-judicial-contra-sites-sucessores-do-mangamura/" title="4 editoras japonesas descartam ação judicial contra sites piratas “sucessores do Mangamura”"]

Sobre o autor

Luiz GP

Luiz é editor dos sites Anime Xis e Revista Mundo OK. Formado em Licenciatura Plena em Geografia pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) e um fã de animes e cultura japonesa. Além de professor escolar, já atuou como locutor de web-rádio, fã de esportes (principalmente NFL, NBA, NHL, MLB e ciclismo), torcedor do São Paulo FC e baixista de banda de rock as vezes. Duvidas? Siga-me que eu respondo -> twitter e Insta: @oluizgp