fbpx
11 de maio de 2021

Anime Xis – Notícias, Eventos, Reviews, Artigos, Podcast e muito mais!

A Arte do Shogi #06 – Como Usar as Peças Corretamente (parte 1 de 3)

Seguindo o sucesso de postagens sobre a Arte do Shogi, chegamos a artigo 6 do nosso parceiro Davi Paiva, chega mais!

Seguindo o sucesso de postagens sobre a Arte do Shogi, chegamos a artigo 6 do nosso parceiro Davi Paiva, chega mais!

Olá, pessoal!

Obrigado por continuarem acompanhando a minha coluna aqui no Site Anime Xis.

Hoje vou ensinar vocês a tirarem o máximo de potencial de suas peças em uma partida de Shogi.

Espero que gostem.

Vamos começar pelo Peão.

Por ser a peça mais simples do jogo, use um Peão para capturar qualquer peça de valor maior que ele mesmo (desde que isso não o leve a uma posição muito ruim ou deixe o seu Rei em perigo). Só tome cuidado, pois como o Peão não pode voltar para uma casa na qual estava, qualquer movimento com ele é um caminho sem volta.

No primeiro caso (o que está dentro do quadrado verde), o Peão está prestes a capturar um Bispo. E isso é muito lucrativo. Já no outro caso, o Peão não pode capturar o General de Ouro adversário porque o Rei fica exposto ao xeque do Bispo.

Um Peão pode parecer fraco no começo do jogo, mas quando é promovido e passa a ter os movimentos do General de Ouro, fica valioso. E dois Peões Promovidos são letais.

Além de protegerem um ao outro, dois Peões Promovidos conseguem ameaçar todas estas casas com pontinhos verdes! Olhem como eles são perigosos!

O Peão pode ser a peça com o maior número de regras para ser reposto, mas também é a peça com mais chances de ser útil para defesa do Rei quando o mesmo sofre um xeque.

E o Peão, assim como qualquer outra peça, pode dar suporte no mate e até o mate (neste último caso, o Rei não se aplica. Reis não se atacam). O único detalhe é que o Peão não pode dar mate imediato (ser reposto já vencendo a partida) porque isso violaria a regra da reposição que ensinei no último artigo.

            Agora vamos falar da Lança.

Da mesma forma que o Peão, seus movimentos precisam ser bem avaliados. Pois é uma peça que não volta para a casa de onde saiu.

Suas funções, geralmente, são:

  • Dominar uma coluna;
  • Dar suporte em ataques;
  • Ficar contra Torres ou Lanças adversárias.

No primeiro caso (primeiro quadrado verde), a Lança está dominando a coluna. No segundo caso, a Lança dá suporte ao General de Ouro para que o mesmo dê mate no Rei adversário. E no terceiro, a Lança está ameaçando a Torre, que não pode sair do lugar sem deixar o Rei exposto. E caso a Torre capture a Lança, o Cavalo tomará a Torre.

E agora vamos falar do Cavalo.

Assim como as outras peças descritas anteriormente, um movimento com um Cavalo é um caminho sem volta. Portanto, pense bem antes de qualquer ação com o mesmo.

Tanto no Shogi quanto no Xadrez, existe um movimento chamado “garfo”, que é quando uma peça ameaça duas inimigas ao mesmo tempo e obriga o adversário a escolher qual ele quer salvar.

Como no Shogi a única peça capaz de se movimentar como o Cavalo é o próprio Cavalo, use a peça principalmente para dar garfos em seu oponente e obter um ganho material.

Cavalo ameaça Torre e Bispo: qual você salvaria?
No primeiro caso, o Cavalo dá suporte para o General de Ouro dar mate. No segundo, com a Torre cobrindo a última coluna, o Cavalo é que dá o golpe final no monarca adversário.

Outra boa função do Cavalo é ser uma peça de suporte no mate ou até o executor do Rei adversário.

Por enquanto ficamos aqui.

Como viram no título, este é outro artigo que publicarei gradualmente e quero fazer mais duas publicações explorando as outras peças.

           Indicando Shogi

O canal “Recanto do Shogi” é mantido por Danilo Emboaba, um cara muito legal e que me ajudou a entrar nesse maravilhoso mundo.

Nele vocês podem rever algumas coisas que já ensinei e até se anteciparem em alguns estudos.

Link aqui.

Muito obrigado a todos(as) e até a próxima!

Por Davi Paiva

Leia mais aqui!

Davi Paiva nasceu em São Paulo, capital, em 1987. É graduado em Letras pela Universidade Cruzeiro do Sul. Participou de várias antologias de contos por diversas editoras, inclusive nas obras “Poderes”,“Monstros entre Nós”, “Guerreiros” e “Magos” pela Darda Editora, onde foi coautor e organizador, e é autor do livro “Cavaleiro Negro”, que também saiu pela mesma editora.

Publica seus textos no blog detonerds.blogspot.com.br e no site Animexis.com.br

Contato com o autor: [email protected] ou via Facebook: facebook.com/davipaivalivrosetextos/